segunda-feira, 25 de junho de 2007

Mais corrupção

Nos 235 apensos do processo "Portucale" estão inúmeras gravações de escutas telefónicas a Abel Pinheiro, na altura dirigente do CDS, garantindo a diversos interlocutores, alegadamente do Grupo Espírito Santo, que tinha Telmo Correia (na altura ministro do Turismo) na mão. “Esse gajo assina tudo o que a gente lhe põe à frente”, terá dito Abel Pinheiro ao telefone referindo-se a Telmo Correia que agora é candidato pelo CDS à Câmara Municipal de Lisboa. Perante esta e outras realidades, que credibilidade merece o agora candidato à Câmara e os que subscrevem a sua candidatura?

8 comentários:

Raposa Velha disse...

Ora, ora, se calhar estavam apenas a falar das contas do partido ou das assinaturas nas actas de reunião...

Watchdog disse...

...E o "Paulinho das Feiras" referiu aqui há dias que existem outros partidos que também foram "subsidiados" por aquele banco... 1 Abraço!

Cláudia Pereira Cardoso disse...

O Sobreiro é uma das riquezas naturais da nossa flora e espécie protegida. Mandar abater cerca de 2600 sobreiros a 4 dias de eleições legislativas é obra! Telmo Coreia fala-nos na campanha de valores, mas quais? Monetários? Bem me parecia... É o que temos. Mas podemos mudar isto. E diz que é já para o mês que vem. :-)

Anónimo disse...

simplesmente vergonhoso.

Anónimo disse...

Estes senhores dopoder financeiro andam sempre á espreita.Ha que estar atentos e lutar contra estes lobys, por um pais melhor.

Watchdog disse...

... E este país só melhora quando se prenderem uns quantos, quando se começar a dar o exemplo! Quem julgam eles que são? Pensarão que estão em algum patamar acima da lei?... É REVOLTANTE continuar a vê-los a passear impunes "transpirando" confiança e moralidade, a debitar a sua diarreiazinha mental pelos canais televisivos! Pobrezinhos são os canais de televisão que lhes dispensam "tempo de antena" !

pita-cega disse...

O que eu gostava de perceber é para que servem as escutas telefónicas. Dos muitos processos que têm vindo a público, as escutas telefónicas são sempre excluídas por serem consideradas ilegais. Até parece que quem as faz (ou manda fazer), as faz de modo ilegal de propósito. Assim a judiciária apresenta trabalho mas nunca se compromete. Isto sou eu a "conspirar", porque não percebo nada de leis…

Watchdog disse...

Perspectiva interessante, Pita...