terça-feira, 28 de agosto de 2007

calma, Expresso...

Catarina Eufémia
Eu já tinha lido isto no Domingo, enquanto estava na praia... será que isto é derivado de sol a mais na "mioleira"?...

3 comentários:

João Rato disse...

Na minha inocência julguei que o nome do movimento viesse de Santa Eufémia, protectora dos "males ruins". De facto, se se referem à de Baleizão, fico desorientado. Não me admira até que o inocente agricultor - que sabia lá se o milho era de Espanha, da Argentina ou da Transgénia - tenha cantado:
"quem viu pisar o meu milho
não perdoa quem o pisou!..."

Watchdog disse...

Olha que os Baleizoeiros tinham fama de ser tramados!...
Mas não te desorientes... Baleizão, a terra-Mãe e a terra-Mártir de Catarina Eufémia, fica entre Moura e Serpa, no Baixo Alentejo... um pouco antes de Moura, entre esta e Beja, fica a terra da minha "costela materna", a Vidigueira!...

1 Abraço!



1 Abraço!

Watchdog disse...

João:
Agora a sério, o tipo que escreveu o artigo, não é um "parvalhãozito"?
E que jornal ou revista merecem credibilidade quando permitem a publicação de tal artigo?
Jornalismo tendencioso que cheira mal, mete nojo!...

1 Abraço!