quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Resumindo o debate do Orçamento do Estado

Estive ontem a ver o 1º round do "combate" sobre o Orçamento do Estado para 2008: Sócrates entrou na "arena" a debitar nºs e mais nºs sobre os respectivos ministérios. Por volta dos vinte minutos de "paleio", ferrou a primeira farpa em Santana...
Quando a Santana Lopes lhe foi dada a palavra, imediatamente a Sócrates, senti-o algo nervoso, talvez devido à pressão que foi crescendo nos últimos dias em volta do debate e das expectativas que alguns tinham em que Santana pudesse "sovar" Sócrates. Mas Santana Lopes ao longo do seu discurso revelou pouca substância, desiludiu quem estava mais próximo dele, os (ainda) crentes no líder da bancada parlamentar. Enfim, Santana Lopes foi igual a si próprio, o do costume, um flop!
A surpresa, ou talvez não, veio do líder da bancada do moribundo CDS. Paulo Portas talvez tenha sido quem mais tentou dar luta a Sócrates. Até tem umas ideias engraçadas para o país, todos sabemos quem é "bem falante" e tal, mas as suas ideias não passam disso mesmo... Quando esteve no "poleiro" não aproveitou essas mesmas ideias! Devia era ter continuado à frente do seu jornal, que era um bom serviço que prestava ao país, nunca devia de lá ter saído!
Jerónimo de Sousa, resumo-o numa palavra: Pálido...
Louçã até marcou uns "pontitos", mas até Sócrates esperava mais dele...
Conclusão:
Sócrates teve conversa para todos eles, o difícil é ter conversa que convença o povo...
Mas numa coisa temos de o levar a sério: Em 2008, a palavra de ordem é apertar ainda mais o cinto, para não variar! Já "estamos habituados"... Mas mesmo assim haverá uma resistência a uma mudança, opta-se sempre pelos mesmos, ora pelo PS ora pelo PSD. Esperemos por 2009...

4 comentários:

Jorge Borges disse...

Um interessante resumo do debate do OE, tanto mais que não tive ocasião de assistir. Soube também, entretanto, que o Sócrates se fartou de atirar risadinhas de um lado para o outro do "seu" governo de amigalhaços. Uma atitude que revela bem a arrogância de quem está bem instalado no poder e dita a lei como bem lhe apetece.
Um abraço

ruy disse...

Parabens pelo teu Blog. Retribui o Link
abraço,
ruy

Cláudia Pereira Cardoso disse...

As pessoas mais felizes neste agitado e mutável mundo são as que gostam da mudança, do que é novo, da inovação e encontram um estranho prazer em tudo aquilo que pode vir a existir. E se nos deixássemos dos "videirinhos" da vida, os que vão com os da feira e vêm com os do mercado (que é o mesmo que dizer PS/PSD)?

João Rato disse...

Watchdog,esperemos 2009?!
Para quê? Sócrates? Menezes? Mais deputado menos deputado para o PP, para o PC e para o BE?
Não caio na ratoeira de os observar como quem observa um campeonato de futebol! Tudo bem, a algazarra incomoda-me mas eu vou continuar a vender farturas à saída do estádio!..
Um abraço