terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Em nome do betão!

A PJ fez ontem buscas na imobiliária Pelicano, uma empresa do GES (Espart) e na Câmara de Sesimbra. O alvo das buscas é uma permuta de direitos de construção aprovada em 2003 pelo então ministro do Ambiente, nada mais nada menos que Isaltino Morais. A história é simples, à imobiliária Pelicano (empresa de capitais alemães), os tribunais haviam reconhecido o direito de construir 2227 habitações na praia do Meco. Mas depois houve um acordo da parte do Estado, através de Isaltino Morais, com a Pelicano e a Câmara de Sesimbra que consistiu em transferir os direitos de construção do Meco para a mata de Sesimbra onde a Pelicano já possuía 500 hectares. Mas havia um problema para ultrapassar, é que o PDM de Sesimbra limitava fortemente a construção na mata, como seria lógico e natural! Foi então que, e agora entrando nos contornos da negociação do acordo, a Pelicano liderada pelo empresário Mendes Duarte e apoiada financeiramente pela Espart, compraria os terrenos do Meco que depois os ofereceria ao Estado, e assim o Governo conjuntamente com a autarquia de Sesimbra, criaria as condições necessárias para que se pudesse construir em plena mata de Sesimbra...
Pois é, aqui está mais uma história entre muitas outras, de relações de promiscuidade, de corrompimento, de subornos, de ilegalidades, enfim, a corrupção reinante entre o Estado e as empresas privadas. Tudo em nome da construção desenfreada, do betão... Abaixo a mata! in «Público»

2 comentários:

Mocho-Real disse...

Pelo que se vê, histórias todas transparentes como a água de um ribeiro impoluto.

Por estas e outras é que o major valentão já canta vitória antecipada por 15-0!

Um abraço.

Jorge G.

Watchdog disse...

Jorge, ainda hoje era para escrever qualquer coisa sobre o major e a sua opção de silêncio no arranque do Apito Dourado. Talvez amanhã...

1 Abraço!