sábado, 26 de abril de 2008

Telhados de Vidro

Mas com que autoridade, legitimidade e moral vem agora o Presidente da República criticar uma geração? Provavelmente esqueceu-se dos 10 anos que esteve à frente de um governo que teve das relações mais conflituosas com jovens, e que, nomeadamente na política da educação, muito contribuiu para este alheamento e para esta indiferença da parte da juventude em relação ao dia. Não lhe fica bem tentar demarcar-se destas responsabilidades.

3 comentários:

Kaotica disse...

Que sabia esse senhor, quando era jovem (se é que alguma vez o foi, o que eu duvido) das lutas dos estudantes de Coimbra ou da resistência dos que torturados não denunciavam um camarada? Vem ele agora armado em santo padroeiro da memória de Abril falar da memória de uma revolução que só o pode ter apavorado. Tenha vergonha, vergonha é só o que lhe pedimos e vá-se esconder no 25 de Abril, não balbucie baboseiras! Salazarenta criatura!
Um cravo para ti, meu amigo Watchdog

Savonarola disse...

Ora toma, para o "intocável"! Depois de ter engolido o (grande e chorudo) sapo da Madeira, tomou outra resolução brilhante: desistir do cravo na lapela. Se isto não é significativo - assim como o discurso dos jovens - o que é que poderá ser mais? De reaccionarismo?
Um abraço anarquista

Farroadas disse...

Mais um cromo desta democracia burguesa que nos governa. Sendo o cravo vermelho símbolo do 25 de Abril, este gajo para não ferir a clientela fascizoide que o colocou no pesdestal de Belém, caga-se no cravo e manda-nos a todos às malvas. Este era mais um.....

Se o gajo faz um grande frete em ir à AR comemorar a revolução, meta baixa e não vá, diga que está com caganeira, com as bananas que teve de engolir, para não dizer as dores de cabeça que o Santana das gajas lhe faz.

Viva o 25 de Abril do Povo
Viva a revolução

Abraço

2/5 aproxima-se