domingo, 11 de maio de 2008

Adeus Maestro!

Tive o prazer de conviver com Rui Costa durante um ano em que estudámos na mesma escola. Para além de vivermos relativamente perto, fomos colegas, não da mesma turma, mas como tínhamos amigos em comum em ambas as turmas, relacionámos-nos durante cerca de um ano. Lembro-me que o Rui naquela altura estava nas escolas do Benfica, talvez nos juvenis, e eram evidentes as peneiras por ser jogador do clube. Mas tirando isso, era um miúdo acessível, brincalhão, simpático... estava sempre a sorrir. Era uma das estrelas de futebol lá da escola, e não era o melhor. Mas valeu-nos uns troféus nos torneios de futebol inter-escolas. Como as aulas eram da parte da manhã, quase sempre tínhamos as tardes livres. Eu, o Rui Costa, o Victor, o António, o Paulinho e o Cenáculo (que já nos deixou, DEP), apanhávamos o comboio na Damaia para o Rossio, e passávamos as tardes a passear por Lisboa. Foram bons momentos, deste curto período de um ano na minha adolescência, em que fui amigo do Maestro. Depois disso, o Rui começou a empenhar-se e a levar mais a sério a carreira, tornou-se menos visível na vizinhança. Hoje em dia todos nós sabemos o grande jogador que deu, que infelizmente, por força das circunstâncias se despede hoje dos relvados com a camisola do clube do seu coração. Parabéns Rui Costa, pela tua brilhante carreira, e obrigado pelos mágicos momentos que nos proporcionaste!

1 comentário:

Ferroadas disse...

Como sabes não sou muito deste futebol mafioso e impregnado de gente mediocre e sem escrúpulos.

Reconheço neste artista (é aquilo que ele e todos os jogadores são) grandes qualidades para a função, talvez dos melhores que o mundo "fabricou", agora porque carga de água lhe chamam "maestro". Então o grande Coluna era o quê?
para não falar no Eusébio, no Figo, etc.

Coluna foi para mim o melhor jogador português de sempre.

Abraço