domingo, 4 de maio de 2008

A Generosidade e Solidariedade de um Povo

Ao apelo da campanha do Banco Alimentar, dirigido por Isabel Jonet e que conta com a participação de 17 mil voluntários em 993 estabelecimentos comerciais, os portugueses têm correspondido com um grandioso gesto de generosidade e solidariedade, estando reunidas 1300 toneladas de alimentos até agora. Porque a crise alimentar é uma realidade e infelizmente tem vindo a agravar-se, o Banco Alimentar está a fazer uma campanha de recolha de alimentos nos dias 4 e 5 de Maio, e que está a ter uma resposta bastante positiva. É caso para dizer que: O povo, com a sua generosidade e solidariedade, é que combate a crise alimentar!

6 comentários:

Pata Negra disse...

É absolutamente necessário dar de comer a quem tem fome, é necessário dar espaço à generosidade!
Dar lugar ao banco alimentar e afrontar o Banco de Portugal!
Mas é tão bem absolutamente necessário lutar, exigir, lutar, exigir a distribuição da riqueza! Nada mais absurdo e escandaloso que distribuir às portas dos celeiros dos belmiros - o belmiro vende para nós darmos! o belmiro é o maior!
Não há volta a dar, dizem as formigas consumistas do belmiro! Há volta a dar, há, tomemos de assalto os continentes e modelos!
Vamos brincar à caridadezinha!
Um abraço pela distribuição da riqueza

Anónimo disse...

E o povo com a sua generosidade vai desresponsabilizando quem é responsável pela miséria que, cada vez mais, assenta arraiais no país. Os que têm fome poderão dizer, com toda a certeza, uma frase que há algum tempo, ilustrava um qualquer assunto que esqueci: "Hoje somos muitos, amanhã seremos milhões."
E os resposáveis por tudo isto vão singrando na sua vidona.

Marreta disse...

E apesar do povo estar quase todo em crise, ainda consegue ter a solidariedade e generosidade para se substituir a quem por dever e direito deveria evitar que as situações de extrema pobreza e as famílias que subsistem com 100 euros ou menos por mês não existissem hoje em dia.
Saudações do Marreta.

Post Scriptum: Perdeste a titulariedade...

Kaotica disse...

Por que será que nunca aparece nenhuma campanha a solicitar aos magnates da indústria alimentar (e outros da alta finança)que retirem uma parte dos seus lucros para contribuirem para acabar com o flagelo da fome? Os ricos que paguem a crise, porque são os ricos que a geram!
Com estas campanhas os Belmiros e afins ainda se enchem mais à nossa custa! São eles os maiores beneficiados da caridadezinha!

Que pena não terem podido ir! Para o próximo não há desculpas!

Ferroadas disse...

A solidariedade faz-se com acção e não com esmola. Há pobres porque existem ricos. Muitos preferem roubar que pedir, pedir esmola ou receber a mesma é a maneira dos poderosos nos humilharem. Nada mais degradante para uma sociedade que ter o seu povo esperando a esmola dos poderosos.

Que merda de sistema este.

Só com a revolução popular se poderá acabar com este estado de coisas.

Viva a revolução popular

Abraço

Watchdog disse...

Estou de acordo com vocês todos, sobretudo com o Pata Negra e o Anónimo. Realmente ir comprar alimentos ao Continente (à toda-poderosa Sonae), dar dinheiro a ganhar ao Belmiro com a nossa caridade... Há algo de errado nesta cadeia alimentar...

1 Abraço!

nota: Marreta e Kaótica, tive um imprevisto. Marquem o próximo que lá estaremos para recuperar a titularidade.