sexta-feira, 20 de junho de 2008

Recolham as bandeiras e guardem os cachecois, desçam à Terra e enfrentem o País real

(nós adeptos, acreditámos, eles jogadores, nem por isso!)
Embora não partilhasse da euforia e "loucura" generalizadas em redor da Selecção Nacional, o meu desapontamento por termos sido eliminados do Euro 2008, é enorme. Contra a Alemanha a selecção até jogou bem mas não seguiu à risca aquele slogan engraçado que estava estampado no autocarro: "Este autocarro é movido a vontade de vencer". Também podemos arranjar a desculpa de que o árbitro do jogo num ou noutro lance foi tendencioso a favor dos alemães, mas não vamos por aí. Já sabemos que somos "pequeninos" e essa mesma pequenez por vezes sai-nos cara... Aparte disso, penso que a nossa selecção não mereceu o empenhamento, a dedicação, a atenção, o apoio, que o povo português lhes prestou desde este "cantinho" até Neuchâtel, passando ainda por Basileia. Como já escrevi acima, estou desapontado, esperava mais. Mas com o decorrer dos dias em que a nossa selecção esteve em terras suíças, fui assistindo através das notícias a episódios bizarros e recambolescos, desde o corropio de empresários de futebol no hotel onde a selecção estava instalada, à novela Cristiano Ronaldo-Real Madrid-Manchester United, passando pela saída de Deco a Barcelona para tratar de "assuntos pessoais", que deveriam ser tão urgentes que não podiam esperar mais, durante a prova do Euro-2008, até ao desrespeitoso anúncio da contratação de Scolari pelo Chelsea, em que o timming foi tudo, menos o ideal... Embora os jogadores nas conferências de imprensa tentassem disfarçar fazendo de conta que não atribuíam grande valor a certas notícias, e atiravam as culpas para cima dos "profetas da desgraça", leia-se jornalistas, notava-se em alguns profissionais de futebol um certo "brilhozinho" mercenário nos olhos, uma certa ansiedade de quem foi à Suíça passear (com tudo pago) e tratar da sua vida profissional futura, antes de partir para umas merecidas férias, em descanso. Seria esse brilho que Scolari via nos olhos dos seus pupilos, e a que uma vez se referiu numa press conference? Ele tem experiência na matéria... Pese embora, ainda, tentassem passar a imagem, de que o grupo estava blindado, imune e unido contra qualquer tipo de situação extra-Euro, que o grupo estava empenhado e decidido a trazer o "caneco" para Portugal, comecei a achar que aquelas declarações eram um exagero. (Assim como achei um exagero os festejos por cá, pelas duas únicas ocasiões que ganhámos os jogos, ainda na fase de grupos: Parecia que tínhamos reconquistado Olivenza aos espanhóis!) Certas situações que estavam a acontecer tinham que se reflectir e deixar mossa no grupo. Cheguei a comparar certos jogadores como certos políticos: Prometem muito mas cumprem pouco! Para além do discurso ser sempre o mesmo: Aquela conversa da treta, de circunstância E pronto, tanto "profeta da desgraça" a agoirar, que vieram para casa mais cedo...
P.S.- À atenção do sr. Scolari: Eu sei que com o sr., o seu "afilhado" Ricardo tem lugar na baliza de qualquer clube do mundo. Portanto leve-o consigo, para bem longe daqui. Será um bom álibi e um sinónimo de uma boa compensação financeira para daqui a seis meses, quando o Abramovich "abrir os olhos" e ver o barrete que enfiou ao contratá-lo para treinador, e o despedir. Já agora, e não arranja também um "tachito" para levar também daqui para fora o sr. Madaíl?

3 comentários:

Raposa Velha disse...

Olha aí é que acertaste, o mister que levasse o Madaíl com ele. Tacho por tacho, ao menos que fosse pago pelos bifes.

ferroadas disse...

Deste post pouco tenho a comentar, o meu dasalinhamento em relação ao futebol profissional que por azar pratiquei é conhecido, a não ser o facto de ser uma tragédia para o Sócrates.

Álcacer é já amanhã...

Abraço

Marreta disse...

Está em marcha a preparação da IV GRANDE FARRA BLOGOSFÉRICA. Inscreve-te! Contribui para o PIB, promove a produção nacional! Junta-te à confraria do barril!
Saudações do Marreta!

P.S.: eu volto!