domingo, 1 de julho de 2007

Revolucionários? Deixa-me rir…

Quando o Compromisso Portugal vem assumir-se como uma iniciativa da sociedade civil, aberta à participação de todos, sem cariz ideológico que quer promover a discussão do modelo económico-social, dá-me vontade de rir. Então vejamos:

    • 1. É fortemente representado por capitalistas, patronato e por militantes do partido de direita mais representativo da nossa sociedade: António Borges, António Carrapatoso, António Mexia, António Pires de Lima, Alexandre Relvas, Fernando Negrão, Fernando Ulrich e Filipe de Botton, e estes são apenas alguns exemplos.

    • 2. Defendem a absoluta liberdade de mercado e uma restrição à intervenção estatal sobre a economia, só devendo esta ocorrer em sectores imprescindíveis e ainda assim num grau mínimo = Neoliberalismo

    • 3. São um lobby, um grupo de pressão que nos momentos mais oportunistas aparecem para influenciar decisões do poder político.

    • 4. Deram o nome “Revolucionários” ao livro que escreveram para perpetuar a sua existência, o que é ofensivo para Karl Marx, Thomas Jefferson, Che Guevara, Friedrich Engels e até Jesus Cristo, entre outros Revolucionários.

Enfim, o que é que podemos esperar destes senhores ?

(Nota: Este post é da autoria de Cláudia Pereira Cardoso do blog O Informador & Watchdog) .

7 comentários:

Raposa Velha disse...

Bom eu diria que ficam claros os conceitos de "sociedade civil" e de "participação de todos" que esse bando de amigos defende ;)

João Rato disse...

A constituição deste grupo é um perfeito descaramento e uma afronta!
Sociedade civil, o raio que os parta! Um grupo de pressão poderosamente organizado, poderoso, é isso mesmo!

Watchdog disse...

Raposa velha: É preciso ter "lata", não é?

Watchdog disse...

João: Põe "descaramento" nisso!!!

Cláudia Pereira Cardoso disse...

Ó compromisso, compromisso "...tu provas na perfeição, que geres com o teu cifrão, a infelicidade dos outros, reduzes um drama, o do maior desemprego, a centigramas, à percentagem de uns poucos...morreu a proletária ditadura, a ditadura do mercado já nasceu, se cada vez menos produzem mais para a maior minoria, toda a riqueza, se cada vez menos para a imensa maioria sobram, sobras que te caem da mesa, da guerrilha dos capitais, em doces paraísos fiscais...Keynes ao pé de ti...é a alegoria ou o retrato de um santo." Fausto Bordalo Dias in "a ópera do cantor maldito"

pita-cega disse...

Pois... eles são revolucionários e eu sou o Robin dos Bosques.

ferroadas disse...

Sociedade civil, então há uma sociedade militar??

É como dizerem "os populares...." referindo-se ao povo (a nós) onde estão os impopulares?? serão eles?? o get-set???

Não me lixem, povo, populares somos todos. Só numa sociedade com classes estas atoardas se pronunciam.

Em relação a este post, bem amigo, de lobys, lobos, lobinhos, raposas, e F. da P. como estes só uma palavra "vão-se embora" , "deixem-nos em paz"

Um abraço