quinta-feira, 21 de junho de 2007

"American way" ou Estado Novo?

O Governo vai levar à Assembleia da República uma proposta de lei em que pretende que esta seja aprovada e posta em prática ainda este ano, que consiste na criação de uma Base de Dados de perfis de ADN dos portugueses. Aonde é que eles (Governo) querem chegar mais?...

8 comentários:

Ronin disse...

É que estou plenamente de acordo, só falta mesmo nessa base de dados acrescentar a filiação partidária, a opinião sobre o novo aeroporto (da Ota!!), e o mais importante a opinião se o Sr Sócrates é eng. ou não.

PS: já agora se escreve em algum blog…

Ronin

Teixeira disse...

Este governo anda a ver demasiados CSI´s...


Abraço
[[]]

pita-cega disse...

Mais uma vez este governo se preocupa com o acessório esquecendo o essencial. É que ainda há imensa gente com as necessidades básicas por satisfazer. Não temos dentistas nos centros de saúde; há crianças que vão para a escola sem tomar um pequeno almoço decente (falo com conhecimento de causa.), para termos habitação condigna gastamos uma boa fatia dos nossos rendimentos e, hoje em dia, até a segurança no emprego, vital para o bem estar psicológico da sociedade, deixou de existir. Entretanto gastamos os poucos recursos do país em coisas fúteis.
Um abraço e bom fim-de-semana.

AMAFAS disse...

Querem chegar longe, muito longe. Vejamos se não será longe demais.

Capitão Merda disse...

Puta que os pariu!

Cláudia Pereira Cardoso disse...

Que se preparem os Imigrantes...mas não só.

"Isaac Owusu, um imigrante ganês que obteve a cidadania norte-americana ao fim de 15 anos no país, viu o seu sonho de reunião familiar transformado em pesadelo devido a um teste genético. Os estudos de ADN que as autoridades norte-americanas exigem em casos de reagrupamento familiar revelaram que, dos seus quatros filhos, residentes em África, apenas o mais velho era seu filho biológico, revelou ontem o jornal The New York Times. Owusu, naturalizado norte-americano em 2002, descobriu assim a repetida infidelidade da sua mulher e viu-se impossibilitado de ter uma vida nova nos Estados Unidos acompanhado dos filhos, principal motivo do seu trabalho ininterrupto naquele país.
Perante estes resultados, as autoridades norte-americanas permitiram apenas a entrada no país do filho mais velho de Owusu, forçando os outros jovens, dois gémeos de 17 anos e um rapaz de 19, a permanecer no Gana. Isaac Owusu, que pediu para serem revelados apenas os seus primeiro e segundo nomes, tem agora a hipótese de requerer o reagrupamento com os seus enteados, precisando apenas de provar que estes eram filhos da sua falecida mulher." In "http://24horasnewspaper.com/mostracolunas.php?cplunista=Imigracao)

António Sabão disse...

Só venho retribuir a visita mas vou voltar!
Abraço

António Sabãoh disse...

Estive a ler e estou como o Capitão, PUTA QUE OS PARIU!